Documento sem título
 
 
 

 
(35) 3221-3244
 
         
 
Notícias e Dicas de Saúde
Notícia - 11/10/2018 - 18 respostas sobre o câncer de mama para acabar com as dúvidas 11/10/2018 - 18 respostas sobre o câncer de mama para acabar com as dúvidas

O câncer de mama afeta mais de 2,1 milhões de pessoas por ano e é o quinto que mais mata, de acordo com o Globocan 2018, estudo realizado pela Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer. Por isso, é comum que muitas pessoas tenham dúvidas sobre câncer de mama.

Qual é a causa? Quando procurar um médico? Prótese de silicone pode causar câncer de mama? Confira as 18 dúvidas sobre câncer de mama respondidas por especialistas para que você possa esclarecer todos os seus questionamentos.

Dúvidas sobre câncer de mama: acabe com elas já

Qual é a causa do câncer de mama? Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), não existe uma causa única. Diversos fatores estão relacionados, como idade, menarca precoce, menopausa tardia, não ter filhos, primeiro filho em idade avançada, não amamentação e uso de terapia de reposição hormonal são fatores associados ao risco.

Quais os sintomas? A principal manifestação da doença é o nódulo, que está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Outros sinais: pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito, pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço, e saída de líquido anormal das mamas.

Quando procurar um médico? Assim que notar um dos sinais citados.

É possível notar algo ao apalpar os seios? Sim. A orientação atual dada pelos profissionais do INCA é que a mulher faça a autopalpação (autoexame) das mamas sempre que se sentir confortável.

Quando a mulher deve fazer a mamografia? Segundo informações da Clínica da Mama.

É possível prevenir a doença? A prevenção não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença. Mas estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver a doença.

Como é o tratamento? Deve incluir a opinião de vários especialistas, como mastologista, radiologista, oncologista, radioterapeuta, enfermeira especializada, psicóloga, fisioterapeuta e assistente social. Habitualmente, o tratamento pede cirurgia e é complementado pela radioterapia e quimioterapia/hormonioterapia (medicamentos).

Prótese de silicone nos seios pode provocar a doença? Não há evidência científica de que exista associação entre implantes mamários de silicone e o risco de desenvolvimento de câncer de mama.

Quais são as chances de cura? Quando diagnosticado precocemente, há até 95% de chance de cura.

Como funciona a reconstrução da mama? A Sociedade Brasileira de Mastologia informa que essa cirurgia possibilita a reabilitação de pacientes sujeitas a mastectomias (remoção da mama), repondo a forma de uma nova mama ou a sua melhora, em casos de remoção parcial ou total de uma ou das duas mamas. A reconstrução mamária imediata – incluindo do mamilo e aréola – pode ser realizada nos casos em que não há contraindicações. Ela ajuda na recuperação emocional e no bem-estar das pacientes.

A chance de ter câncer de mama aumenta se um familiar próximo for diagnosticado com a doença? Sim. Quando a mulher tem uma irmã, filha ou a mãe com câncer de mama, a chance de também sofrer com o problema aumenta em até 80%.

O uso de prótese de silicone dificulta o diagnóstico de câncer de mama? Não existem estudos que comprovem a relação entre próteses de silicone e a dificuldade em detectar a doença. A única influência que a prótese pode causar na realização do exame é a necessidade de se fazer mais imagens da mamografia.

Obesidade pode contribuir para o surgimento de câncer? Sim. O excesso de peso é capaz de estimular as células da mama e gerar um tumor, pois a gordura que fica armazenada na região periférica do corpo pode ser transformada em hormônio feminino. Com isso, o risco de gerar um crescimento irregular das células é maior.

Pancadas nos seios contribui para o surgimento da doença? Não. Quando a mulher sofre uma batida na região dos seios, é comum que apareçam hematomas e até mesmo inflamações. Contudo, isso não aumenta o risco de câncer de mama.

Amamentar protege contra o câncer? Sim. O processo de amamentação estimula a produção de leite e, com isso, as células mamárias se multiplicam menos. Como consequência, o risco da doença é menor.

Gravidez aumenta risco de reaparecimento de câncer de mama? Não. Segundo uma análise apresentada durante o Encontro Anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), a associação entre as alterações hormonais decorrentes da gestação e um maior risco de reincidência de um tumor de mama é equivocada.

Utilizar algum método contraceptivo hormonal pode favorecer o surgimento de câncer de mama? Talvez. Embora exista chance de risco, ele ainda pode ser considerado relativamente baixo.

Homens também podem ter câncer de mama? Sim. Assim como as mulheres, os homens também apresentam glândulas mamárias. Apesar da baixa incidência, o câncer de mama masculino pode se manifestar e existe um alto percentual de mortalidade. Geralmente, o diagnóstico é tardio, tendo em vista que os homens não costumam realizar a mamografia anualmente.

Fonte: Alto Astral
 
Leia também
18/10/2018 - Saiba evitar a rinite da primavera

18/10/2018 - Natação: benefícios, gasto calórico e estilos de nado

18/10/2018 - Como conservar o queijo de maneira correta

 
Aqui você encontra


Travesseiros aromáticos,
produtos para diabéticos e grande variedade em produtos naturais.

 
 
Documento sem título

Bioética Farmácia de Manipulação - CNPJ: 01.396.458/0001-74
Av. Rui Barbosa, 93 - Varginha / MG - Telefone: (35) 3221-3244
Copyright © 2011 - Todos os direitos reservados - By
FrameSet